segunda-feira, 18 de abril de 2011

QUAL FOI O INICIO DO TRÁFICO DE ESCRAVO, SUAS ROTAS E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS DIRECTAS?


Ate o século XV os contactos entre a África e a Europa efectuavam-se através das costas do oceano indico, por intermédio dos comerciante árabes. Os comerciantes italianos e ibéricos estabelecidos em Marrocos traficavam escravos com o Mali e o songo

 Mas o tráfico mudou de orientação. O Sahaara cedeu progressivamente o lugar ao oceano atlântico onde os contactos se multiplicavam devido a descoberta científica e técnica que permitiram uma navegação mais seguras e a grande necessidade que a Europa tinha de ouro e especiarias.
 Os primeiros europeus a desembarcaram nas costas africanas foram os navegadores portugueses movidos por interesses e aventuras lucrativas. Vinham a comercializar a medida que iam pesquisando o litoral africano.

 Os primeiros contados entre os reis da Europa e de África foram contactos de igualdade e de aliança, e eram trocados produtos como: ouro, ferro trabalhado, marfim, carapaça de tartaruga, tecido e escravos.
 No litoral Índico os europeus limitaram-se a procura do caminho marítimo para o indico, fonte de ouro e especiarias levou-os a costa oriental africana. 
O objectivo principal dos portugueses na costa oriental, era de se apoderarem do mercado árabe. Assim a 1ª atitude foi destruir, pilhar, queimar cidades do
litoral Índico. No século XVI o sentido da história mudou. Era visível a interferência da Europa na evolução das sociedades africanas. Ate ao século XVIII a África foi o teatro que a história da humanidade conhece. Milhões de africano foram arrancados violentamente das suas terras e do seu meio social para enriquecerem uma burguesia mercantil sedenta de ouro e especiaria.

 É este período que se designava por era do tráfico para África e período de acumulação primitiva de capital para Europa. No começo os escravos eram levados para Europa (Lisboa), onde aprenderam a língua portuguesa e doutrinados na religião católica. Alguns deles eram empregues como mão-de-obra na agricultura em Algarve, Madeira e Açores. Até a descoberta de América o tráfico de escravo forneceu a Europa algumas dezenas de milhões de escravos do século XV ou XX. 
CONSEQUÊNCIAS DIRECTAS DO TRÁFICO DE ESCRAVOMuitos historiadores extra-africanos procuram deliberadamente banalizar o tráfico de escravo como um ocidente de percurso insignificante da história da Europa. Ridiculamente alguns autores defendem que a África não sofreu consequência negativa justamente porque a zona costeira do continente onde se exercerá o comércio do Ébano são hoje aquelas que apresentam mais populosa. Outros ainda defendem que a África tinha lucrado mais do que perdido, porque, o trafico de escravo permitiu-lhes introduzir no continente a cultura de produtos Ameríndios tas como: café, cana-de-açúcar e algodão. Os mais ingénuos pedem ate que a África deixa de lastimar porque o tráfico de escravo permitiu ao continente entrar na chamada Historia Universal. A avaliar em toda a sua totalidade, os efeitos profundos que a escravatura teve no continente africano a nível económico, social, politico e ate psicológico e cultural é difícil mas a verdade é que o tráfico de escravo é o maior mal que o mundo já mais conheceu.

2 comentários: